Pensamentos de uma Centelha Humana

Capítulo IV

“Era um lugar de energia tranquila, parecia um grande vale. Eu estava no vale e podia ver um lindo riacho correndo por entre pedras e uma grande montanha… ao redor uma floresta de grandes árvores, grande parte eram coníferas.

Avistei bem próximo ao riacho uma grande fogueira, dançando ao redor dela havia uma pessoa, me pareceu indígena – um xamã que fazia com que a chama da fogueira ficasse acesa com sua dança encantadora ao redor da fogueira.XAMÃ (2)  -  09.09.08  CC

No topo da montanha havia um lobo, um grande cinzento lobo. Senti como se ele fizesse parte de meu ser… meu xamã!!!

Visualizei algumas pessoas comigo neste magnífico lugar, em especial uma grande amiga, a Dana. Dana me perguntou sobre a presenças do lobo, que neste momento se aproximava de mim com um fixo olhar que penetrava no mais profundo de minha alma. Respondi-lhe que tratava-se, agora com toda a certeza, de meu xamã!

Tão logo terminei minha fala, e avistamos um grande e belo urso, e foi então que as palavras fluíram de minha boca com tamanha naturalidade – dizia eu para Dana que o urso era o seu xamã. animais

Ao redor da fogueira, o indígena permanecia num ritmo constante…a paz era soberana neste momento, e ali neste magnífico local a natureza reina totalmente.

Não queria me despedir desse momento, mas não havia como, pois a vida terrena me chamava de volta, e então com imensa gratidão aos grandes Mestres Ascencionados fui retornando ao meu corpo físico.

Amanhece o dia e tudo que trouxe de lá foi o que relatei e o mais importante a paz e gratidão.”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De volta á escrita

Compartilhar

Quem foi PADMAPANI?