PENSAMENTOS DE UMA CENTELHA HUMANA (Conto - Escrito por Camile)

Capítulo I


perdao21Um novo ano teve início e mais uma vez temos, nós humanos, a chance de renovar as metas, ideias, conceitos.
Quanto ao ano que se foi tenho gratidão. Hoje sou o que sou graças aos grandes acontecimentos e aprendizados vivenciados em 2010.
A grande lição que trago neste novo ano é a profunda aceitação do amor incondicional.
Penso que se nós, seres humanos, não começarmos a aceitar a magia do amor incondicional a permanência de nossa espécie neste planeta terá seus dias contados – SEREMOS EXTINTOS!!!
A mim, como uma discípula reikiana dos grandes mestres ascensionados, me resta colocar a cada instante em prática o exercício do amor incondicional, do amor universal. Mestra Nada, pertencente a chama rubi, em suas belíssimas mensagens deixa claro a importância da gratidão e com isso do amor incondicional. Esse amor fraterno por toda e qualquer forma viva existente no imenso universo de luz.
O grande Mestre Jesus já disse: “Amai-vos uns aos outros e a Deus como a ti mesmo”. Se o outro te machuca, lhe dirige ofensas e outras agressões, respire! Ilumine-se, ore aos mestres pedindo paz e amor a você e essa pessoa! Faça como minha avó dizia: “ Encha a boca de água!” Isso sempre funciona!
A gratidão é uma das formas de demonstrar o amor incondicional mais sublime que existe. Quando somos gratos por tudo o quanto foi, e é bom, e também por tudo que não é ou foi tão bom, desenvolvemos a capacidade do amor universal, aceitamos esse amor e tudo o que o universo nos proporciona.
Dessa forma passamos a emanar as energias sublimes do amor incondicional para nós e para todos os demais, próximos ou não de nós.
Assim, contribuímos para a paz de todo o planeta.




Capítulo II

MESTRES2Falando em transformações ou melhor, transmutações, sabemos que nosso planeta esta passando por um momento de grande transmutação. Essa transmutação teve um aceleramento quando nós, seres humanos, passamos pela Revolução Industrial, onde desenvolvemos toda a maquinaria e a automação das fabricas, o que deu origem a toda essa tecnologia atual.
Não que eu seja contra toda essa evolução tecnológica, de forma alguma! Penso que se chegamos onde estamos hoje é porque, de certa forma, o universo permitiu tal evolução.
Porém, isso não nos deu o direito de colocarmos esses avanços desenfreados à frente de nossa qualidade de vida, como estamos fazendo até os dias de hoje.
O planeta e o universo como um todo estão saturados de todo egocentrismo dos humanos. A única espécie de vida que não desenvolveu respeito e gratidão por tudo que o planeta lhe oferece.
A banalização dos valores morais, do respeito, fazem dos seres humanos, seres cruéis, que não merecem estar no planeta Terra. Dessa forma, o planeta tem mostrado sua triste insatisfação, e é ai que surgem todas as mudanças climáticas (calor, frio, chuvas...) fora do que achamos que é normal. Então um número alto de humanos são dizimados, retornando para o universo sob forma de energia.
O restante...bem, nós que ainda estamos por aqui, por um curto período de tempo nos solidarizamos e melhoramos nossos péssimos hábitos de destruidores do planeta. Passamos a realizar campanhas, verbalizamos aos mais jovens, principalmente, a importância da preservação do planeta e de tudo o que há nele.
Mas será que está sendo suficiente??? Será que todos esses jovens humanos estão realmente conscientes do tamanho de tal responsabilidade? Cuidar, preservar e amar incondicionalmente todo o planeta e todo o universo??? E quanto a nós? Nós, atuais responsáveis pelo planeta, temos tal consciência? Afinal, se as crianças/ jovens, aprendem o que vivenciam, nós estamos passando vivências saudáveis a esses jovens humanos?
Questões complexas, merecedoras de reflexões contínuas e individuais.
Cabe aqui ressaltar que ainda temos tempo! Podemos fazer a diferença! E isso não significa apenas sermos adeptos de campanhas de preservação. Que nada! A diferença está nas pequenas atitudes, nas pequenas manifestações de gentileza e gratidão a cada dia. Seja pelo ar, água, luz, seja pelos que convivem conosco. Seja pelas vitórias ou dificuldades. Não importa o motivo. O que realmente importa sempre será a gratidão, o amor incondicional pelo Todo.

Capítulo III
Imagem 175
Dejavú! Sim acabo de ter mais um dejavú!
Acabei de sentir novamente aquele delicioso cheiro de flores. Não sei ao certo qual ou quais flores. Talvez rosas com jasmim e lavanda.
Ah, simplesmente não sei! Apenas sei que era uma fragrância encantadora.
Todas as vezes em que me encontro em estado meditativo sinto essa essência ao meu redor, pairando no ar. Sinto que essa essência me permite estar ainda mais conectada com o mundo espiritual, com as energias que transcendem o universo, o espaço e o tempo.
Especialmente hoje, além de toda essa sensação já descrita, senti e sinto uma imensa gratidão e paz. Como um abraço, onde sou acalentada por aquele que deve ser um amigo espiritual, um mentor…
Sinto neste momento a vontade de retribuir tal carinho, emanando gratidão e amor incondicional. Por isso faço esse registro nestas linhas. Não quero perde-lo, não devo esquece-lo.
É um lembrete de que não estamos sozinhos nesta vida. De que mesmo quando não está sob o alcance de nossa visão, sempre há um anjo ao seu lado.
Minha mãe costuma dizer que temos 24 anjos, um para cada hora do dia.
Nos momentos em que mais necessitamos eles nos aparecem cheios de amor e luz para aliviar nossas angústias.
Eles aparecem nas mais diversas forma. Pode ser um telefone tocando, um email ao ser lido, um olhar de seu animal de estimação, o sorriso contagiante de seu(s) filho(s), uma fragrância de flores pelo ar…
Os anjos, nossos guardiões, guias, mestres, estão por toda a parte. Para senti-los basta que nós deixemos fluir toda a magia da paz, fé do amor universal e quando menos universe1esperarmos veremos, sentiremos o quanto somos amadas centelhas abençoadas do cosmos universal.
(escrito em 6/jan/2011)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De volta á escrita

Compartilhar

Algumas mudanças